• Marcos Sandália & Meia

Dia de Cachorro com Cães da Madeira


Saudade não tem idade! Foto: Flávio Charchar

Na vida temos que fazer muitas escolhas, entre elas está a opção de ouvir o mais recente disco da banda Cães da Madeira, e tornar-se uma pessoa legal, ou continuar essa vida lamentável e sem graça que se leva.


Lançado em julho de 2019, Dia de Cachorro é um trabalho de grande qualidade e que faz emergir o #démodéfuturismo com força e vigor. Com arranjos divertidos e pressão na medida certa, este disco mostra o amadurecimento do quarteto formado por Pedro Palmer (voz, guitarra e programação); Samuel Camarota (guitarra e voz); Miguel Veloso (contrabaixo) e a manequim Magda Bauducco (bateria e sintetizadores).


Produzido por Lucas Mortimer, este disco reúne 12 faixas que formam uma atmosfera descolada, saudosista, espirituosa, um tanto quanto vintage and elegante, and debochada, and moderna, and clichê roquista que no séc. XXI anda meio escanteada, mas que sempre é uma delícia para se curtir, beber, dançar e flertar.


É como resumiu Guilherme Bacellar, em seu comentário ao disco no youtube: "já peguei meu cigarro, liguei minha tv e to olhando pro retrato dela". Se você não entendeu, volte mais uma casa no jogo da loucura boêmia.

Samuel Camarota / Pedro Palmer / Miguel Veloso

Sandália e Meia Sem Meias Palavras


Dia do Cachorro - rock/balada introdução havaiana esquisita, porém cool.

Veneno - funk mórbido, quadrado, com uma pegada bem Tarantino.

Caixa de Música - ciranda circense feita por trovadores indie/modernos.

Euforia - country frenético, acelerado, eufórico, narrativo e lisérgico.

Jovem Guarda - uma ode ao saudosismo com cara de deboche aos good times.

Deus é Pesado - Balada existencialista pra seguir adiante sabendo que tá e vai dar tudo errado.

Catarina - faixa romântica depressiva do disco sobre a bela e inexorável falha de comunicação.

Cruel - Dançante e entorpecente viagem ao que chamam delírio e por aí vai. Gostas?

Maria do Carmo - Se apesar de um mal partido, ainda se apaixona, essa música é pra você!

Cães da Madeira - epic song of the album com jeito de trilha para um herói de faroeste.

2019 - Aquele toque maroto pra você que sabe que todo ano é ruim e a tendência é piorar.

E no futuro... Nova York - para quem ainda não sacou que o sonho hipster é uma ilusão, né?


Em resumo, Dia do Cão é uma obra coesa, esteticamente muito bem resolvida, agradável e com potenciais hits, como: Jovem Guarda, Catarina, Maria do Carmo e Veneno. Os rapazes apostaram em clichês e arquétipos sonoros para amarrar bem a ideia e torná-la de fácil assimilação, mas conseguiram ser originais nos detalhes e na construção das letras. Por fim, não caíram na armadilha fácil do indie ou do rock alternativo que é acabar se tornando pedante - algo resolvido, a meu ver, com a opção pela narrativa direta, sem rodeios ou o desejo de transmitir mensagens muito profundas. A riqueza do trabalho está em relatar toda a nossa mediocridade, admirá-la e seguir adiante.



Catarina olhou bem dentro de mim

E me disse você nunca é meu advogado

Catarina as coisas não são bem assim.


Catarina esse é o nosso fim,

Eu te explico e você entende tudo errado

Catarina as coisas não são bem assim.


Gostaria de continuar

Nesse circulo vicioso,

Mas com você é preto no branco

Ou branco no preto.


Eu não quero por o dedo na ferida

Ou, Catarina, que você melhore de repente,

Catarina eu já nem faço parte da sua vida.


Eu comprei uma passagem só de ida

Para um lugar que eu não sei ao certo onde,

Catarina eu já não faço parte da sua vida.


Gostaria de continuar

Nesse circulo vicioso,

Mas com você é preto no branco

Ou branco no preto.


Catarina esse é o nosso fim,

Não aguento mais você fazendo tudo errado

Catarina as coisas não são bem assim.


Catarina olhou bem dentro de mim

E me disse você nunca é meu advogado

Catarina as coisas não são bem assim.

67 visualizações

©2019 by Marcos Sandália & Meia. Proudly created with Wix.com